São Paulo, 19 de outubro de 2020 – A LINX S.A. (“Companhia”) (B3: LINX3 | NYSE: LINX), em atendimento ao disposto no §4° do artigo 157 da Lei n° 6.404/76 (“Lei das S.A.”) e na Instrução CVM n° 358, de 3 de janeiro de 2002, a respeito da notícia intitulada “Fundador da Linx não deve votar, diz CVM”, divulgada no jornal Valor Econômico desta data, esclarece aos seus acionistas e ao mercado em geral que recebeu dos Srs. Nércio José Monteiro Fernandes, Alberto Menache e Alon Dayan (“Acionistas Fundadores”), cópia do Ofício nº 185/2020/CVM/SEP/GEA-4, de 16.10.2020 (“Ofício”), enviado pela Superintendência de Relações com Empresas – SEP da Comissão de Valores Mobiliários – CVM aos Acionistas Fundadores. No Ofício, a SEP informa que, no seu melhor entendimento, os Acionistas Fundadores encontram-se impedidos de votar na assembleia geral da Companhia convocada para o dia 17 de novembro de 2020 nas matérias relacionadas à possível incorporação de ações envolvendo a STNE Participações S.A. A Companhia foi informada pelos Acionistas Fundadores que o entendimento manifestado pela SEP no Ofício deverá ser objeto de recurso perante a CVM.


CONTATO RI:

Relações com Investidores
(11) 2103-1531
ri@linx.com.br


Website: ri.linx.com.br