Conforme relatado no Worldwide Retail IT Spending Guide de 2012, os gastos em TI no Brasil atingiram US$54 bilhões em 2011. Entretanto, a penetração do setor na economia brasileira ainda é tímida, se comparada aos países desenvolvidos – nos Estados Unidos e na Europa Ocidental, por exemplo, os gastos em TI movimentaram US$606 bilhões e US$471 bilhões, respectivamente, no mesmo período de análise.

Investimentos relevantes no desenvolvimento de tecnologia e infraestrutura de telecomunicações no Brasil nos próximos anos deverão levar a uma importante expansão do setor, reduzindo a diferença entre as realidades brasileira e americana. A expansão na infraestrutura de telecomunicações deve dar-se pelo aumento da penetração de internet banda larga no Brasil, que, segundo a IDC, atualmente atinge 25,1% dos domicílios, comparado a 66,8% dos domicílios nos Estados Unidos, assim como pelo aumento na penetração do número de telefones celulares com tecnologia 3G, o que deve sustentar um aumento no número de usuários de softwares de TI. Neste contexto, a Gartner estima que, enquanto os gastos em TI deverão crescer a uma taxa média anual de 7,3% no Brasil, entre 2012 e 2016, nos Estados Unidos o ritmo de expansão deverá ser mais lento, girando em torno de apenas 3,5%.

A mesma tendência pode ser observada em relação aos gastos com software. Isto, pois, atualmente, o mercado de software dos Estados Unidos representa 0,9% do PIB, 4,6 vezes mais do que o percentual brasileiro, de apenas 0,2%. No entanto, esta discrepância deve ser gradualmente reduzida na medida em que o crescimento previsto para o mercado brasileiro será de quase o dobro em relação ao projetado para o mercado americano entre 2012 e 2016 (12,4% contra 6,8%).